segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Aquisições - Fevereiro 2011

Isto hoje já vai ficando tarde, e eu sem cabeça para deixar a opinião do último livro que li, por isso aqui vão em vez disso as aquisições do mês:

- Wicked Enchantment, Anya Bast
- Human Blend, Lori Pescatore
Ambos são de giveaways internacionais, o primeiro já vem de Setembro (os livros vão chegando a conta-gotas xD só falta um desse giveaway) e o outro é mais recente, de Janeiro.

- Magic Study, Maria V. Snyder
A saga Book Depository de Janeiro acabou! Custou mas foi, finalmente chegou, um mês depois de fazer a encomenda... Obrigada queridos CTT de Portugal, vocês deram um novo significado à expressão "correio caracol", já que esta encomenda andou um mês perdida quando outras expedidas no mesmo dia chegaram após 3 dias... *roll eyes*

- Fallen Angel, Heather Terrell
- Firelight, Sophie Jordan
Via Book Depository... Ironicamente quando eu finalmente compro/leio os livros em inglês é que eles saem em português... É o Firelight que (finalmente) vai sair pela Livros D'Hoje com o título (slap me please) A Luz do Fogo... E acabei de descobrir via revista Bang! 9 que a Gailivro (acho que era a Gailivro, mas não posso garantir) vai publicar A Great and Terrible Beauty ... Que eu acabei de ler em Janeiro. (Slap me again please.) Sei ou não escolhê-los?

- Ah, Apanhei-te!, Martin Gardner
Este foi oferecido pela mãe para complementar os outros dois da mesma colecção adquiridos o mês passado.

- Filosofia em Directo, Desidério Murcho, lido, com opinião pendente de publicação (amanhã ou depois já cá está)
- Celestial, Cynthia Hand, lido
- Flashman - A Odisseia de Um Cobarde, George MacDonald Fraser, lido
- Descobri Que Te Amo, Ann E. Cannon, lido
- Sangue de Anjo, Nalini Singh, lido, este curiosamente com o flash faz reflexo do título na madeira da estante, eu sei, nada a ver com o livro em si, mas já é tarde e é nestas alturas que reparo nas coisas parvas :P

Faltou-me a referência (e a foto tirada) ao Doce Vingança, de Jill Mansell, que veio como oferta na compra do Celestial e do Flashman... Fica aqui a menção.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Celestial/Unearthly, Cynthia Hand

I'm submitting this book to the 2011 Debut Author Challenge, hosted by The Story Siren. I read the Portuguese edition, which is eligible for the challenge as the US edition is, since they were both published this year.


Review: Clara is a normal girl who is a quarter angel. This means she has angelic characteristics, like wings, or some exceptional physical and mental characteristics. This also means that when she starts having visions of a boy in a burning forest, she knows they relate to her purpose - what she is meant to do. She, her mother and her brother move to Wyoming in result. There she will make new friends, discover new things about herself and find out what her purpose is, exactly.

I KNEW there had to be a YA paranormal angel book more than half decent. Cynthia Hand, I thank you so much right now. The main character, Clara, is a normal girl, with qualities and defects alike, struggling with teen and not-so-teen dilemmas. She's just finding out about her angelic heritage, specially because her mom is so secretive about the angels' business. I was curious about what her mom might be hiding, hmm…

As for the romance part… I'll just say, that's some fine twists! I'm getting allergic to more than one romantic interest at the same time, but in this case there are attenuating circumstances. This purpose stuff is bound to complicate things so much.

Which leads me to the ending. Clara ends up having to choose between her heart and her duty, and I can't say I would choose otherwise. I was dumbstruck at what was shown about her purpose; it opens up a world of possibilities and I was very curious about what's really going on.

The writer manages to write a captivating story, with a decent protagonist; the supernatural stuff is quite interesting and the author gives us her unique take on angels. I can only ask… When is the next one coming out?

Opinião: A Clara é uma rapariga normal que também é um quarto anjo. Isso quer dizer que tem características angélicas, como asas, ou algumas características físicas e mentais excepcionais. Também quer dizer que quando começa a ter visões de um rapaz numa floresta a arder, ela sabe que concernem ao seu propósito - aquilo que está destinada a fazer. É assim que ela, a mãe e o irmão se mudam para o Wyoming. Lá vai fazer novos amigos, descobrir novas coisas sobre si própria e tentar descobrir em que consiste, exactamente, o seu propósito.

Eu SABIA que tinha de haver um livro paranormal juvenil sobre anjos mais do que meio decente! Ah!, Cynthia Hand, estou-te tão agradecida neste momento. A protagonista, Clara, é uma jovem normal, com qualidades e defeitos, debatendo-se com dilemas adolescentes e não tão adolescentes. Ela própria está a descobrir-se em relação à sua herança angélica, especialmente porque a mãe é muito silenciosa em relação a assuntos dos anjos. Fiquei curiosa em relação ao que a mãe poderá estar a esconder. Hmm…

E quanto à parte romântica… só devo dizer, que belas reviravoltas! Estou a ficar com alergia a haver mais que um interesse amoroso ao mesmo tempo, mas neste caso faço uma excepção por, digamos, circunstâncias atenuantes. Esta coisa do propósito promete complicar as coisas, e muito.

O que me leva ao fim. A Clara acaba a ter de escolher entre o coração e o dever, e não posso dizer que escolheria de maneira diferente. Fiquei parva pela revelação sobre o propósito da Clara. O fim abre todo um mundo de possibilidades e eu fiquei roída de curiosidade sobre o que realmente se está a passar.

A autora consegue escrever uma história cativante, com uma protagonista muito decente; a parte sobrenatural é muito interessante e a autora apresenta-nos um visão curiosa sobre os anjos. Agora só posso perguntar… Para quando o próximo?

Título original/Original title: Unearthly (2011)
 
Páginas/Pages: 288/448
 
Editora/Publisher: Saída de Emergência/Harper Teen
 
Tradutora/Translator: Marta Teixeira Pinto

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Flashman - A Odisseia de Um Cobarde, George MacDonald Fraser


Opinião: Este livro até me tinha chamado a atenção quando foi publicado, mas foi ficando para trás por entre outras novidades. Se não fosse a leitura conjunta do fórum Bang! imagino que tinha ficado em lista de espera por bastante mais tempo.

Achei imensa piada a este anti-herói que se mete em sarilhos sempre que pode e sai deles quase por acaso. Apreciei a ironia de o Flashman ser, no fundo, um cobarde, mas arranjar sempre maneira de se meter em sarilhos mortais e, pior, safar-se sempre deles, e raramente por mérito próprio. Curiosamente aqueles que o topam acabam sempre por morrer.

A parte histórica é muito interessante e dou por mim a querer ler mais sobre a época, mas infelizmente são poucos os relatos não ficcionais que têm a honestidade brutalmente completa que este relato ficcional tem. Tomara que a História que se aprende nas aulas do básico fosse contada assim.

A parte passada no Afeganistão (2ª parte do livro) está muito boa. É interessante ver descrita uma altura menos boa da história; afinal esta é feita dos bons e maus momentos, se bem que acaba sempre por haver uma selecção (pouco) arbitrária dos que literalmente ficam para a história. Aliás, é isso que nos é mostrado no fim do livro. Acho que dois ditos populares podiam ser reescritos à luz deste livro - em "dos fracos não reza a História" eu poria qualquer coisa como "dos tolos"; em "a História é escrita pelos vencedores" eu poria "pelos sobreviventes".

Suponho que o humor no caso deste livro pode ser subjectivo. É preciso suspender as nossas sensibilidades de século XXI para entrar na mentalidade deste personagem do século XIX. Há algumas coisas que acontecem que não têm cabimento no nosso tempo. O livro em si pode não agradar a todos, acho, dado que a premissa é um tanto peculiar e o humor muito baseado na ironia, mas a mim cativou-me. Quando tiver oportunidade vou certamente pegar no Royal Flash.

Uma última nota para a capa, que mantiveram a original britânica (gosto!), e para a tradução, que usou certas expressões muito tipicamente portuguesas e que deram um sabor diferente à leitura.

Título original: Flashman (1969)

Páginas: 256

Editora: Saída de Emergência

Tradutora: Susana Serrão

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Descobri Que Te Amo, Ann E. Cannon


Opinião: Não li Sonho de Uma Noite de Verão de Shakespeare, apenas a adaptação dos irmãos Lamb, e vi um filme baseado na obra, mas este livro pareceu-me uma boa adaptação da história, versão teen e contemporânea. As trocas e baldrocas de afectos estão lá, e com a piada que a história original tem.

É um livro que se foca nas inseguranças da adolescência, no sentimento de que por vezes pensamos que temos de ser outra pessoa para sermos mais populares, mais bonitos e mais seguros de nós próprios. Tenta passar a mensagem de que sermos nós próprios é o mais importante.

A história é curtinha, passando-se em cerca de 10 ou 12 dias, se bem que o livro podia ter o dobro do tamanho que eu não me queixava (se fosse um pouco mais longo talvez pudesse desenvolver melhor a história e os personagens). No fim de contas, uma história muito gira e doce que nos delicia por uma tarde.

Título original: The Loser's Guide to Life and Love (2008)

Páginas: 232

Editora: Marcador

Tradutora: Dina Antunes

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Sangue de Anjo, Nalini Singh


Opinião: Neste mundo criado por Nalini Singh, os anjos são seres poderosos, letais, imortais e exsudam sensualidade. São eles os responsáveis pela criação dos vampiros, e em troca estes trabalham para o anjo em questão por uma centena de anos. A Elena trabalha como Caçadora de Vampiros para a Guilda; o seu trabalho é apanhar vampiros fugidos ao seu contrato e devolvê-los aos seus empregadores. É a melhor no que faz, se bem que isso pode rapidamente mudar - foi contratada para apanhar um arcanjo degenerado.

Bem, primeiro que tudo tenho que destacar o worldbuilding da autora, que pega duas das criaturas sobrenaturais mais sobre-utilizadas recentemente e as torna suas, sendo a sua abordagem bastante original. Os anjos são seres poderosos, e entre eles contam-se os mais poderosos de todos, os arcanjos. Estes como que "governam" o mundo, estando o mesmo dividido em regiões pelos vários arcanjos. Por sua vez os anjos são aqueles que criam os vampiros por um processo muito curioso e que a autora só revela no fim.

O enredo em si é bastante decente. Temos um mistério, temos aspectos paranormais, temos uma atracção sexual estupenda entre os protagonistas - a sério, pensei que o livro ia pegar fogo, ehehe. É claro que com tanta antecipação a consumação do acto pareceu-me um bocado fraca. Então, senhora Nalini Singh, isto é um livro para adultos, nós aguentamos mais que uma descrição curta do acto. O cenário, Nova Iorque, é dos meus favoritos para uma fantasia urbana, portanto aqui estava ganho à partida.

Gostava que a autora investisse mais um bocado no desenvolvimento dos dois personagens principais, Elena, a humana Caçadora, e Raphael, o arcanjo bonzão-imortal-cruel-quando-é-preciso. Vemos uns relances do seu passado, mas não o suficiente para caracterizar suficientemente os dois, se bem que com o que nos é dado podemos deduzir muita coisa. Os personagens secundários pareceram bem interessantes, e espero que possamos vir a conhecê-los melhor no próximo livro.

O fim - bem, não olhem para a capa americana dos dois livros seguintes, que vos vai spoilar o que acontece no fim deste. Eu é que sou demasiado cegueta para o perceber, porque já tinha visto as capas antes. Mas ainda bem que para a edição portuguesa escolheram as capas inglesas, porque graficamente são muito mais interessantes.

Falava eu do fim. Bem, penso que o fim pode tresandar um bocadinho a deus ex machina, mas acaba por dar uma reviravolta tão inseperada que não me importei nada e até estou curiosa para ver o que vai sair daqui. Devo dizer que, para quem não tem grande imaginação a visualizar algumas cenas de livros (como eu), até "vi" quase cinematicamente o fim da cena do confronto final. Acho que não foi porque a autora a escreveu muito bem, mas, bem, porque me apelou à sensibilidade.

Em geral, fiquei muito contente por ter apostado neste livro, devorei-o praticamente, e vou atirar-me aos próximos provavelmente com a mesma voracidade. Delicioso, encantador, bom entretenimento.

Título original: Angels' Blood (2009)

Páginas: 360

Editora: Casa das Letras

Tradutora: Sofia Gomes

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Beastly, Alex Flinn


Opinião: Todos conhecemos a história, entre a Disney e os irmãos Grimm (espero bem que tenham sido os irmãos Grimm, porque eles recontaram tudo e mais alguma coisa - a autora menciona uma versão deles, mas quando fui procurar à Wikipedia não encontrei nada). A autora também menciona a história de Cupido e Psique, da mitologia grega, como uma das inspirações para o seu reconto e para a história original, o que eu não sabia, mesmo sendo eu uma maluquinha da mitologia.

Bem, como dizia, todos conhecemos a história. Rapaz transforma-se em Monstro, Monstro arranja maneira duvidosa de manter a Bela "presa", Bela e Monstro apaixonam-se, Bela e Monstro quebram a maldição e vivem felizes para sempre.

Neste reconto o narrador é Kyle Kingsley, e a história passa-se em Nova Iorque, começando antes da maldição. Kyle é rapaz mais giro da escola e graças ao péssimo exemplo de pai que tem, é um arrogante que acha que a beleza exterior é tudo. Para lhe ensinar uma lição, uma bruxa lança-lhe o famoso feitiço em que se transforma em Monstro.

Bela e o Monstro é um dos meus contos de fadas favoritos, logo este reconto tinha que ser muito bom para me impressionar. No fim de contas, a parte do reconto em si não me impressionou muito. A adaptação ao mundo moderno seria difícil, porque como é que se justifica um pai entregar a filha a um tipo que, bem, parece um animal?

A escolha da autora acaba por ser acertada, ao definir os protagonistas como dois jovens com pais muito pouco interessados em o ser de verdade. Mas ao mesmo tempo há qualquer coisa na história que a torna mais fraca. A criação de uma ligação entre a Bela (Linda é o seu nome) e o Monstro tem pouco tempo de antena no todo do livro, e acabei por ficar a achar que a própria personagem da Linda é pouco desenvolvida - mas isso pode ser porque o que sabemos dela é o que o Kyle nos conta.

O que mais gostei foram os personagens secundários que rodeiam o Monstro, e os pequenos toques que lembram o filme da Disney, como a importância da rosa e do espelho. Também achei uma certa piada aos chats que aparecem ao longo do livro, entre o Monstro e outros personagens que podemos reconhecer de outros contos de fadas (Sapo de A Princesa e o Sapo, Sereia de A Sereiazinha, os vários personagens de Branca de Neve e Rosa Vermelha).

No fim de contas, gostei, mas não achei nada de extraordinário. No entanto deixou-me uma vontade enorme de rever o filme da Disney, e gostava de espreitar mais alguns recontos.

Páginas: 336

Editora: Harper

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Onde é que eu já vi isto?

Eu até sou muito distraída para estas coisas, mas ao cuscar a capa do 2º livro da série Soul Screamers da Rachel Vincent (edição do UK) fiquei com a sensação que me era familiar. Entra a minha irmã, que me espreita por cima do ombro, e diz "o que é que a capa do primeiro livro dos Midnighters (edição portuguesa) está aí a fazer?". A imagem usada, de uma rapariga com olhos verdes, é a mesma. Neste caso até foram os ingleses que nos imitaram, LOL. Imagino que temos a agradecer aos bancos de imagens estas coincidências.

EDIT: I'm turning this post bilingual.
I'm quite oblivious to this kind of things, but when I was checking out the 2nd book in the Soul Screamers series by Rachel Vincent (UK edition) I found its cover familiar. It was my sister that helped me realize that the girl is the same as the one in the Portuguese cover for the 1st book in the Midnighters series by Scott Westerfeld, published last year.


Outro que livro que me pareceu familiar mal o vi foi o Beijo das Sombras, da Richelle Mead (ed. portuguesa). No outro dia andava a pesquisar a série Morganville Vampires, da Rachel Caine, e topei o "gémeo" - Kiss of Death, o 8º livro da série. A modelo das fotos também é a mesma.

Another book cover that seemed familiar was the Portuguese cover for Shadow Kiss, 3rd book in the Vampire Academy series by Richelle Mead. I was checking out the Morganville Vampires series by Rachel Caine sometime later and realized the reason the cover was so familiar was because of the girl in it is the same as in the UK cover for Kiss of Death, 8th book in the Morganville Vampires.


Acho piada a ir topando estas coisas, quem sabe não me chama a atenção para novos livros? E ao aperceber-me finalmente das parecenças deixo de ter aquele estranho dejà-vu cada vez que olho para as capas. :P

I find it funny to figure out these things, sometimes it may grab my attention and introduce me to new books. ;)

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

O Prazer Mais Escuro, Gena Showalter


Opinião: Depois dum segundo livro desapontante, achei este muito melhor. Reyes e Danika têm estado num jogo de toca-e-foge desde o primeiro livro, por isso talvez isso ajude à melhor construção da história e dos personagens. A Danika começou por ser uma rapariga simples e inocente que se viu atirada para o meio desta confusão, mas evoluiu para uma mulher que é capaz de matar. O Reyes é um fofinho, ironicamente, pois contém em si o demónio da Dor.

Acho que a autora tem ainda a melhorar muitas coisas no desenrolar do enredo, pois a parte extracasalinho parece arrastar-se um bocado. Os outros Senhores do Submundo andam dum lado para o outro à procura dos artefactos, no templo x ou no sítio y, mas eu perco-me completamente porque essa parte da história é coberta aos bocadinhos e algumas coisas acabam por me escapar.

Alguns persongens vão ganhando alguma personalidade e cativando o leitor - o Sabin, o Aeron, o Torin, a Cameo (que é - shame on you, Gena! - a única guerreira no grupo) e o Paris. O Paris, pobrezinho. Estou a ficar com muita pena dele. E creio que a autora vai continuar a torturá-lo por mais um bocado. Estive a cuscar os Senhores do Submundo que arranjam par nos livros seguintes e parece que o livro dele é o nono - o 9º! - da série. O demónio dele, Promiscuidade, acaba por ser um dos que dá mais trabalho ao seu portador.

Como disse, gostei muito mais deste livro da série, apesar de achar que a autora pode melhorar algumas coisas. É que comparada com a J.R. Ward, por exemplo, ela perde na comparação sem dificuldade.

Título original: The Darkest Pleasure (2008)

Páginas: 352

Editora: Harlequin

Tradução: desconhecido

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Desafio: Uma Visita Guiada às Estantes



Venho divulgar uma ideia muito gira que a Slayra do blog Livros, Livros e mais Livros apresenta no seu blog - apresentarem as vossas estantes em pormenor, seja em vídeo ou em fotos. Podem saber mais sobre o desafio clicando na imagem. Estou curiosa, é giro cuscar as estantes de outros bookaholics e ver que livros também temos na nossa biblioteca pessoal. =D Para já, a WhiteLady3 do blog Este meu cantinho... já fez um post a responder ao desafio. ;)

Stylish Blogger Award


1. Thank and link back to the person who send you this award.
2. Share 7 things about yourself.
3. Award 15 recently discovered great bloggers.
4. Contact the bloggers you picked and let them know about the award

Okay, I'm new to this award business, so I'm gonna start with thanking Mis_t at the Bookaholics Book Club blog, she is also an admin to this Facebook Book Club with the same name, Bookaholics Book Club, which is the main culprit of getting me to read more in English. So, thank you very much, Mist! =)

The 7 very uninteresting things about me that I shouldn't probably share are:
  1. I am very grumpy in the morning - which means that I don't like to be woken up by someone else (ahem, my sister), or by the alarm clock, and that I will probably not hear anything people say to me in the 15-30 minutes after waking up.
  2. I feel like I've changed schools all the time - I went to 5 different schools between primary and high school.
  3. I am very messy - I have things piling up everywhere, but I know exactly where I have everything. I will be mad if someone (again, my sis) messes up my messiness out of place, though.
  4. I've mentioned her twice already, so I might mention I have a sister, she's 2 years younger than me, she loves books as much as I do, she drives me nuts, but I adore her.
  5. I'm very clumsy, and I often trip over something.
  6. Given my clumsyness, I broke my humerus (my upper arm bone), I had to get 2 stiches in my right eyebrow, and I basically sprained an ankle. Thankfully these didn't happen at the same time.
  7. I am developing a love of coffee, thank to my mom's Nespresso coffee machine, and of coffee beverages.
There. Now you will know me much better in all my strangeness. :P I will skip on the "award 15 recently discovered great bloggers", because I haven't done much browsing the blogosphere lately, and haven't discovered many blogs/bloggers, and because the blogs/bloggers I follow more eagerly aren't people I discovered *lately*. So, everyone feel free to grab the award and take up the opportunity to tell everyone 7 things about you. xD

sábado, 12 de fevereiro de 2011

The Body Finder, Kimberly Derting


Opinião: Violet Ambrose é uma jovem que nasceu com uma estranha habilidade: na proximidade de cadáveres ou dos seus assassinos consegue aperceber-se de "ecos" sensórios, na forma de cores, luzes, sons ou cheiros. Apesar disto, a Violet é uma rapariga bastante normal, bem ajustada, com uma família não disfuncional, o que começa a ser raro neste género de livros.

A sua habilidade costuma resumir-se a encontrar animais caçados na floresta, mas isso muda quando um assassino em série começa a levar raparigas e os seus corpos começam a aparecer (alguns encontrados pela Violet). Uma coisa curiosa na narração da história é que a autora nos dá alguns capítulos na perspectiva do assassino, o que para quem viu praticamente todos os episódos da série Mentes Criminosas (como eu) é interessante. É claro que o ter visto esta série ajudou-me a desconfiar da reviravolta à volta do assassino, mas até fiquei toda contente por uma vez na vida aperceber-me do enredo antes de tempo.

O livro acaba por equilibrar bem a parte de mistério à volta do assassino com a parte de seguirmos a vida normal da Violet. Pontos extra por o interesse amoroso não ser um rapaz novo na escola (outro cliché típico nestes livros), mas sim o melhor amigo da Violet desde sempre. Foi altamente divertido seguir os dois no chove-não-molha, mas felizmente a autora não abusou desse enredo e eu fiquei felicíssima da vida quando eles se juntaram finalmente.

O fim foi um bocado "desmazelado", porque quando eu achava que a Violet ia ser o alvo do assassino, isso não acontece, e depois isso acabou por me estragar um pouco o final. A parte à volta da habilidade da Violet não me pareceu suficientemente desenvolvida, mas talvez venha a sê-lo no próximo livro. Em suma, gostei, e quero ler o próximo.

Páginas: 336

Editora: Headline

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Vínculo de Sangue, Patricia Briggs


Opinião: Neste livro, Mercy Thompson tropeça em mais sarilhos. Parece ser recorrente entre as heroínas da chamada "fantasia urbana". Não são elas que se mete em sarilhos, são os sarilhos que as procuram. Hehe. Entre as heroínas deste género, a Mercy e o seu mundo são dos meus favoritos.

Por um lado, aprecio que a protagonista tenha plena consciência das suas capacidades e fraquezas. Por outro lado, é muito divertido ver que ela está sempre rodeada de lobisomens maiores, mais fortes e cheios de testosterona. Gosto da sociedade dos lobisomens, como está cheia de hierarquias e de lobos dominantes e submissos. Gosto também da envolvência do mundo real com o sobrenatural, de como os seres féericos e os lobisomens "sairam do armário" para o mundo.

Quanto a este livro, gostei. Se no outro os problemas foram originados entre os lobisomens, neste é com os vampiros. Começo a ver um padrão nos títulos. O primeiro título estava relacionado precisamente com os lobisomens, e o título deste com os vampiros. O terceiro, Beijo de Ferro, está relacionado com os seres féericos, imagino. Hmmm...

Cada vez mais vou ficando encantada com estes livros. Gosto da maneira como a Patricia Briggs escreve e criou este mundo. Vou continuar a acompanhar este livros.

Título original: Blood Bound (2007)

Páginas: 304

Editora: Saída de Emergência

Tradutor: Manuel Alberto Vieira

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Convite: John Lennon Nunca Morreu e Outros Contos Fantásticos


Depois de ter deixado aqui a divulgação das sinopses, e aqui a minha opinião, deixo agora o convite para o lançamento deste livro de contos, que começa pelo conto titular. O lançamento será no domingo, dia 13, às 17h00 no Fórum Montijo. Vai ser feito em conjunto com o lançamento de um outro livro da mesma editora (ver imagem). Gostava de lá estar, mas neste momento ainda não tenho a certeza. :/

Entretanto, a autora deixou no blog dedicado ao livro excertos de quatro contos do livro, vale a pena experimentar. ;)

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Conspiração 365 - Janeiro, Gabrielle Lord


Opinião: Achei muita piada a esta ideia de irem publicando os livros da série quase em tempo real, um por mês. É uma ideia original e ainda bem que a editora portuguesa vai seguir esse estilo de publicação. Porque às vezes é terrível ficar à espera que um livro seja publicado; num livro dirigido aos mais jovens, é uma boa maneira de os "agarrar" à leitura.

O que me leva ao ponto negativo. Como é dirigido para jovens (e também porque, imagino, ao ritmo de um por mês, a autora não podia escrever livros grandes e muito desenvolvidos, a não ser que tivesse começado a escrever a série com 5 anos de antecedência), a linguagem é simples, e no início estava a ter dificuldade em entrar no livro devido a isso.

Mas passando a relutância inicial, até gostei! A certa altura ganha um ritmo alucinante e leva-nos embalados até ao fim. Acho que é quando as "desgraças" começam a acontecer ao personagem principal que fiquei envolvida nas suas peripécias. O mistério subjacente à história promete, e por um lado é bom ir saber o que se passam nesta história no fim deste ano, mas por outro Dezembro parece que está tão longe!

Uma (boa) nota para o preço decente (quando tantos livros hoje em dia estão um bocado overpriced), e o uso do selo temporal nos acontecimentos para dar mesmo a sensação que estamos a seguir a história em tempo real. Uma coisa desconcertante é a paginação decrescente, como se fosse um countdown - estranha-se depois entranha-se, penso eu.

Título original: Conspiracy 365 - January (2010)

Páginas: 192

Editora: Contraponto

Tradutora: Carla Alves

domingo, 6 de fevereiro de 2011

As minhas estantes Parte II

E hoje venho mostrar as estantes (que também já vão ficando abarrotadas) que cá tenho em Lisboa. A maior parte são livros ainda por ler, e por isso não estão exactamente organizados por qualquer critério.

Começando pelo meu quarto...
Prateleira nº1: livros em inglês por ler. Estou a gostar de ler em inglês e por isso agora tenho muitas coisas para me entreter. Uma boa parte é de giveaways internacionais, logo não tenho gasto muito dinheiro com estes. A caneta é de um dos giveaways também.

Mais livros por ler... Prendas de anos e de Natal e alguns mais antigos que ficaram para trás por eu estar à espera que saíssem mais livros da série (Aliança das Trevas, O Mago - Aprendiz, A Eleita de Kushiel) ou por o livro ainda não ter saído e eu ir provavelemente spoilar as pessoas mal escrevesse aqui no blog a minha opinião (A Corte do Ar).


Mais livros por ler que, coitados, foram ficando para trás por uma razão ou outra. Outros são de consulta. Outros são de bolso. Ironicamente, davam-me jeito para ler no autocarro e andarem na mochila. Mas não, aqui a tola tem de andar sempre com calhamaços atrás. xD

Livros das colecções da Sábado. E duma colecção de Verão DN/JN que não é a da Europa-América nem a do Verão passado, cuja qualidade estava (parece) má. Já disse que tenho saudades de quando fizeram a colecção de Verão DN/JN em parceria com a Europa-América? Aquilo é que eram livros de Verão em condições.

Fora do quarto, mesmo à porta, há uma estante onde tenho tralhas da faculdade (mais abaixo, não tirei foto), na 2ª prateleira estão os livros lidos pela minha irmã (também não tirei foto), e na 1ª prateleira estão os livros lidos por mim, desde Setembro. E sim, por cima está a caixa da impressora.



As duas fotos mais em baixo mostram os livros que estão por trás dos outros na primeira foto.


A tour fica completa com a estantezita da sala. Em cima alguns livros que já li e que estão para emprestar ou que quero consultar por alguma razão; depois estão alguns livros para a faculdade. De notar que gosto muito das edições da Gulbenkian, por isso quando os professores recomendam um editado por eles, geralmente vou comprar. Têm um preço acessível, e eles ainda fazem desconto substancial para estudantes, se pedirem. Mais em baixo, alguns livros de consulta ou daqueles para ter na mesa da sala; e depois mais alguns da faculdade.

Bem acho que é tudo. Que viagem cansativa, hã? Até tenho arrepios só em pensar em catalogar isto tudo. Mas um dia lá terá que ser, ou eu deixo de conseguir encontrar os livros. Às vezes já nem me lembro se tenho um livro ou não. :P

sábado, 5 de fevereiro de 2011

As minhas estantes Parte I

Tenho andado a adiar este post. Com uma bookaholic como eu, tinha de mostrar as estantes, não é verdade? Só que como ando sempre em viagem entre a minha casa "de estudante", aqui em Lisboa, e a casa dos meus pais no Algarve, e como os livros também andam sempre de um lado para o outro é difícil saber quantos são, aonde param e como estão ordenados.

Só para dar um exemplo, até há bem pouco tempo achava que tinha emprestado o meu exemplar de "O Perfume", de Patrick Süskind. Só que não me lembrava a quem o tinha emprestado. E afinal o livro estava na estante. *facepalm* Segundo as minhas estimativas, devo ter cerca de 1000 livros, mas não tenho a certeza - não os contei, e não sei muito bem como os poderia inventariar. O Goodreads ajuda, mas muitas vezes não tem os livros.

Quanto à organização nas minhas estantes... não há. Quer dizer, uma boa parte está por colecções, trilogias/séries, ou editora, mas no momento em que tive de começar a pô-los deitados por cima dos que já estavam na estante em pé, a organização ficou pelo caminho. Neste momento acho que só vou consegui tê-los arrumados quando tiver casa própria.

A minha irmã, que é bastante virada para moda e maquilhagem, diz que quando tiver uma casa quer ter um closet. Eu quero um closet... para livros! Ou seja, uma divisão que sirva apenas para biblioteca. Ou então uma sala como a que a Cat SaDiablo mostrou no seu blog. Oh well, enquanto sonho mais um pouco vamos lá cuscar as minhas estantes.

Estas estantes estão em casa dos meus pais, junto ao meu quarto há umas escadas para o sótão e arranjámos maneira de mandar construir nas escadas umas estantes para mim.




Esta é a primeira estante, em cima tenho uns policiais, e uns clássicos. Por baixo alguns livros infanto-juvenis e de não-ficção. Na 3ª prateleira tenho Juliet Marillier, Carlos Ruiz Zafón e livros de BD. Na prateleira seguinte, as duas colecções do Correio da Manhã de BD - Clássicos da Banda Desenhada e Colecção BD Série Ouro. Ah, os tempos idos em que lia muita BD... Na última prateleira, mais vítimas dessa pancada, muitas revistas e alguns livros de BD.




À esquerda da estante anterior, temos esta. Harry Potter e Senhor dos Anéis lá em cima, colecção Via Láctea da Presença mais abaixo. A seguir Meg Cabot e Laura Gallego García. A seguir, colecção Estrela do Mar da Presença mais uns livros que estão deitados porque ainda não os li. Foi uma pancada que me deu há uns anos, deixar os livros ainda não lidos assim. De notar que à direita dos livros que estão visíveis estão alguns livros "escondidos" pela estante da direita. São livros que li quando era mais nova, tipo "Os Cinco", e "Os Sete", e um ou dois da "Uma Aventura"... Na última prateleira, revistas. Blitz, Os Meus Livros, Quo (que saudades!), Ragazza, National Geographic, (também não se vêm na foto)... Sempre fui uma rapariga com interesses diversificados no que toca a revistas.




Ainda à esquerda da anterior, alguns livros da fase "thriller histórico". E com isto quero dizer os livros que me saltaram à vista do estilo "O Código DaVinci". Alguma fantasia e mitologia invadiu esta prateleira. 2ª prateleira, livros da Saída de Emergência, particularmente colecção Bang! Alguns livros invadiram mesmo a 3ª prateleira, que de resto tem a colecção 1001 Mundos da Gailivro. Nas últimas duas prateleiras, livros de miúda, com a colecção "Porque será que?" do Círculo de Leitores e a colecção da Rua Sésamo. Ali à direita em baixo estão algumas revistas.


Mais à esquerda, mais livros de miúda (e não tão miúda). BDs da Disney! ^^ (Com algumas coisitas da turma da Mónica, numa fase em que havia menos coisitas da Disney nas bancas.)




Livros da colecção de Verão DN/JN/Europa-América, livros de leitura obrigatória para a escola, livros duma colecção da Sábado/Edições Quasi cujo nome não me lembro agora, livros da colecção de Verão do DN/JN do Verão 2010, dicionários (também são livros, coitados).

O resto dos livros que estão em casa dos meus pais estão no meu quarto, aonde quer que caibam.
 Na mesa de cabeceira... (Livros da revista Sábado, algumas revistas de BD.)
 Junto à aparelhagem... (Colecção Erótica da revista Visão.)

Na estante da secretária... (Dicionários, gramáticas, alguns da revista Sábado e variados.)

E pronto, já está. A primeira parte. Tenho que deixar os livros que tenho aqui em Lisboa para um próximo post. Espero que não esteja muito "pesado" para carregar. Se o estiver, queixem-se. :P Estou à procura de como é que se "esconde" parte do post para não se estar a carregar as fotos sempre que se entra no blog, mas ainda não descobri tal coisa. Sou um bocado n00b nisto de programar html. Se alguém souber, agradeço desde já a ajuda. ;)

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Wicked Lovely - Tatuagem/Ink Exchange, Melissa Marr

This book is my "Fairies/Faeries/Fae" book for the 2011 Fantasy Reading Challenge. Looking for the english review? Scroll down, please.

Sinopse

Opinião: Leslie sente que perdeu o controlo da sua vida, e para o recuperar, para se recuperar a si mesma, decide fazer uma tatuagem. Ao folhear o álbum do artista de tatuagens, vê uma que sabe que tem de ser sua. Só não sabe que ao escolhê-la vai entrar no mundo das fadas, seres tão belos como maléficos.

Este livro manteve a minha opinião acerca desta série. Continuo a gostar bastante dela. Penso que é porque a história se desenvolve um pouco como os contos de fadas à antiga, quando o Lobo Mau morria, e a Branca de Neve era sufocada, etc. - neste livro acontecem ou já aconteceram coisas más, terríveis mesmo, às personagens.

A personagem principal, no início do livro, está completamente aterrorizada e paranóica com uma coisa que lhe aconteceu, mas o seu envolvimento com o mundo das fadas acaba por mudá-la, e ela sai no final do livro mais sábia, penso eu. Num mundo em que muitas histórias são atenuadas para não traumatizarem as criancinhas, é refrescante ler um livro em que isso não acontece.

O prólogo do livro passa-se ao mesmo tempo que o início do livro anterior (Wicked Lovely - Amores Rebeldes), mas o resto da história é cronologicamente posterior ao mesmo. Algumas personagens voltam a aparecer, como Aislinn, Seth e Keenan, mas tomam um lugar secundário de modo a que algumas personagens mais secundárias do livro anterior tomem agora o lugar principal - Leslie, Irial ou Niall.

A autora desenvolve mais um pouco a sua versão da mitologia féerica, particularmente no que concerne a Corte das Trevas. São-nos apresentados alguns personagens curiosos (Ani, Tish, Gabriel, Rabbit) e achei piada ao título do próximo livro - Frágil Eternidade. Não sei porquê, acho que tem alguma musicalidade.

Description

Review: Leslie feels like she's lost control of her life, and to get it back, to get herself back, she decides to make a tattoo. When she is browsing through the artist's designs, she finds one that she knows it will be hers. She just doesn't know that be choosing it she will enter the faerie world, with beings so beautiful yet so cruel.

This book maintained my opinion about this series, and I'm still liking it. I think the main reason is because the story reminds me of the old fairy tales, when the Big Bad Wolf died, and Snow White was suffocated, etc. - in this book bad, terrible things happen, or have happened to the characters.

The main character in the beginning is absolutely terrified and paranoid about something that happened to her, but her entrance to the faerie world will change her, and she comes out wiser, I think. In a world where many stories are toned down to avoid traumatizing kids, it's refreshing to read a book where this doesn't happen.

The prologue happens at the same time as the previous book (Wicked Lovely), but the rest of this book happens after Wicked Lovely. Some characters reappear, like Aislinn, Seth and Keenan, but they are secondary to the characters that take the main place now: Leslie, Irial or Niall.

The writer further develops the faerie mythology, especially where the Dark Court is concerned. Some interesting characters are presented (Ani, Tish, Gabriel, Rabbit), and I love the title of the following book - Frail Eternity. I don't why, it just has some musicality in it.

Título original/Original title: Ink Exchange (2008)

Páginas/Pages: 272

Editora/Publisher: Saída de Emergência

Tradutora/Translator: Sónia Maia

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Selected Poems, Emily Dickinson


Opinião: Oh diabo, não me peçam para comentar um livro de poesia. Acho que não sou propriamente a pessoa mais qualificada para o fazer, já que não costumo ler este género literário. Comecei a ler este livro nos intervalos do estudo para os exames, naqueles momentos em que eu andava a arranjar desculpas para não estudar. Só posso dizer que achei piada a ler poesia em inglês. Gostei da cadência da leitura. Notei uma certa tendência da autora para escrever sobre a vida, a morte, a imortalidade e a Natureza. Mas é o máximo de análise que acho que posso fazer.

Páginas: 64

Editora: Dover Thrift Editions

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Aquisições - Janeiro 2011


- O Prazer Mais Escuro, Gena Showalter
- Uma Mulher Perigosa, Deborah Simmons
- O Abraço da Donzela, Susan Wiggs
- Selected Poems, Emily Dickinson, lido
- Selected Poems, Lord Byron
- The Raven and Other Favourite Poems, Edgar Allan Poe
- Tales of Horror and Detection, Edgar Allan Poe

Estes últimos 4 comprei porque achei piada à edição (Dover Thrift Editions), além de que são baratinhos... Edições de clássicos a este preço não é todos os dias.

Ora bem, e os seguintes foram comprados com o dinheiro recebido da avó no Natal, por isso tecnicamente ainda são aquisições de Natal (xD):

- A Caixa em Forma de Coração, Joe Hill
- Emma, Jane Austen, lido
- Mulherzinhas, Louisa May Alcott
(estes 2 têm uma edição de capa dura tão bonita que, bem, não resisti =D)

- My Soul to Take, Rachel Vincent, lido
- A Great and Terrible Beauty, Libba Bray, lido
- Fire Study, Maria V. Snyder
- The Body Finder, Kimberly Derting
- Beastly, Alex Flinn
- The Mark, Jen Nadol (o meu primeiro hardcover em inglês! :D)

Também encomendei, mas ainda estou à espera, do Magic Study... Não sei o que se passa, os outros vieram todos aos bocadinhos (obrigada Book Depository!), mas chegaram, agora este, quando saí de Lisboa para umas miniférias em casa dos meus pais ainda não tinha chegado; espero sinceramente que quando voltar esteja com a porteira, o carteiro costuma deixar-lhe as coisas quando as pessoas não estão. Se não tiver chegado, não sei que faça. Às tantas alguém nos Correios ficou-me com ele. :P

- Jeweled, Anya Bast
Este chegou no último dia do mês, ganhei num concurso internacional natalício.

- Carmilla, J. Sheridan Le Fanu
Presente de Natal atrasado, só me chegou às mãos há uma semana quando cheguei a casa dos meus pais.

- Os Enigmas de Canterbury, Henry E. Dudeney
- Jogos, Conjuntos e Matemática, Ian Stewart
Pertencem a uma daquelas colecções em fascículos, geralmente não as costumo fazer porque são bastante caras; mas estes são do início da colecção e estavam mais baratos, por isso decidi dar-lhes uma olhadela. Curioso é que a editora tem outra colecção com livros sobre Matemática; esta chama-se "Desafios Matemáticos", mas penso que tenho lá para casa um livro deles doutra colecção chamada "O Mundo é Matemático".

Bem, em retrospectiva, não vou fazer promessas para o próximo mês em termos de aquisições - sou como os políticos, quanto mais promessas, menos as cumpro. Mas vou tentar dedicar o mês de Fevereiro ao diminuir da pilha TBR (To Be Read/A Ler) e quanto às aquisições, bem, precisava dum Pavlov que me desse uns choques eléctricos quando tenho a tentação de fazer uma compra, talvez assim assim as aquisições baixassem. xD