sexta-feira, 29 de junho de 2012

Grita, Laurie Halse Anderson


Opinião: Antes de escrever esta opinião, e consciente de que este livro está constantemente a ser excluído de escolas e bibliotecas por todos os Estados Unidos (e nem falo no muito, muito errado que é censurar livros) fui pesquisar um pouco sobre o porquê de ser censurado, e bastou-me o primeiro link para ficar enojada e absolutamente raivosa. Em 2010, o livro foi criticado por um ignorante qualquer que achava que o livro era "pornografia leve" e "glorificava beber, dizer asneiras e sexo antes do casamento".

Será que este homem leu o mesmo livro? Ou leu-o, de todo? É um livro sobre uma miúda que vai a uma festa, bebe um bocado e depois é arrastada para o meio do mato e violada, e o modo como ela lida com isso. Será que é isto "a glorificação de beber, dizer asneiras e sexo antes do casamento"? Este homem acha que uma violação é pornografia, ou seja, sexualmente excitante? O QUE É QUE SE PASSA COM ESTE MUNDO???

Ironicamente, o livro comenta aquilo que acontece na vida real à volta dele. A incapacidade das pessoas de falarem de temas difíceis. A cegueira da sociedade aos problemas dos outros, preferindo concentrar-se nas minudências que não interessam a ninguém. A Melinda passa o ano a tentar lidar com o que aconteceu fechando-se sobre si própria e ao mesmo tempo lançando silenciosos pedidos de ajuda com o seu comportamento, mas ninguém repara. Só conseguem ver notas a baixar ou faltas às aulas. Ninguém repara numa miúda a chorar numa festa agarrada ao telefone, mas toda a gente faz o salto de lógica de que ela telefonou à polícia para estragar a festa e ostracizam-na durante o resto do ano. Isto deixa-me tão irritada e frustrada, porque sei que é o que acontece na vida real, e não está certo.

O modo como a autora escreve o livro é bem interessante, porque através da fragmentação de ideias e momentos que a Melinda relata, podemos criar uma imagem da psique dela e de como se debate como tudo o que aconteceu. A sua evolução ao longo do ano foi bastante emocional e apertou-se-me o coração ao reconhecer no comportamento dela um trauma, quando ainda ela nem conseguia falar disso. Por outro lado, ela tem um certo humor negro e maneira de ver as coisas que gostei. *suspiro* É um livro que acaba por pôr muita coisa em perspectiva, quando as minudências do dia-dia nos assoberbam.

Título original: Speak (1999)

Páginas: 176

Editora: Asa

Tradução: Susana Serrão

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Brevíssimas: Destino Adiado, A Estrela do Destino


Destino Adiado, Volume 1 e Volume 2, Jean-Pierre Gibrat
Adorei a arte e o modo de desenhar e pintar do autor - e digo pintar deliberadamente, pois cada prancha, cada quadradinho parecia uma pintura. O cenário é muito interessante - uma aldeia francesa, durante a 2ª guerra mundial, durante a ocupação alemã - e proporciona um fundo fantástico para a história, sobre um rapaz que fugiu ao recrutamento e é dado como morto. Ele volta à sua aldeia e vive escondido, tendo um ponto de observação único sobre o que acontece. A única coisa que desgostei foi o final, que apesar de ser adequado à história (e até ao título), foi tão anti-climático.

Título original: Le Sursis (1999)

Páginas: 56+56

Editora: Asa

Tradução: Pedro Cleto

A Estrela do Deserto, Volume 1 e Volume 2, Stephen Desberg, Enrico Marini
Não me cativou muito. A ideia é boa, sobre um homem que procura vingança e respostas, e a arte é agradável. Mas o cenário western não me interessou, e o fim é (outra vez) anti-climático - quando estamos à espera duma resposta para o conflito da história recebemos uma bem fraca.

Título original: L'Étoile du Désert (1996)

Páginas: 56+56

Editora: Asa

Tradução: João Silva

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Picture Puzzle #18

O Picture Puzzle é um jogo de imagens, que funciona como um meme e é postado todas as semanas à quarta-feira. Aproveito para vos convidar a juntar à diversão, tanto a tentar adivinhar como a fazer um post com puzzles da vossa autoria. Deixem as vossas hipóteses nos comentários, e se quiserem experimentar mais alguns puzzles, consultem a rubrica nos seguintes blogues: Chaise Longue.

Como funciona?
  • Escolher um livro;
  • Arranjar imagens que representem as palavras do título (geralmente uma imagem por palavra, ignorando partículas como ‘o/a’, ‘os/as’, ‘de’, ‘por’, ‘em’, etc.);
  • Fazer um post e convidar o pessoal a tentar adivinhar de que livro se trata;
  • Podem ser fornecidas pistas se estiver a ser muito difícil de acertar no título, mas usá-las ou não fica inteiramente ao critério do autor do puzzle;
  • Notem que as imagens não têm de representar as palavras do título no sentido literal.

Puzzle #1
Pista: livro publicado nos anos 60.



Puzzle #2
Pista: livro que aborda uma matéria disciplina detestada.



Divirtam-se!

terça-feira, 26 de junho de 2012

The Other Countess, Eve Edwards

I'm submitting this book to the 2012 YA Historical Fiction Challenge hosted by YA Bliss.


My thoughts: What a cute, wonderful book. Eve Edwards's writing is pretty good and she has a way of perfectly weaving the historical setting. The Other Countess is set in Elizabethan times and it shows. I loved to read about Elizabeth I's court, how it was all a game of appearances and intrigue, of looking innocent but doing the nasty behind scenes. This is described in a natural and candid way, and I felt I was truly there. The "country at war with itself" angle is slightly explored, with the religious conflicts that existed in 16th century England. And it broke my heart a little to read about how girls and women had their role so cut out for them, and how they were restrained of choices sometimes. And how they still made the best of it.

Which brings me to Ellie, who is a scholarly girl and feisty and speaks her mind. That, combined with her alchemist father who brings noblemen to spend all their money on fruitless pursuits, doesn't make her very popular or desirable. It saddened me to see what she had to endure with her father, of being sometimes very close to misery because of her father's obsession with alchemy. But it was awesome to watch her keep her cool and be brave.

As for Will, I was mad at him in the beginning because of his misconceptions about Ellie, but it was lovely to watch him and Ellie falling for each other. I rooting for them to overcome their obstacle, but I wish it wasn't so easy to overcome... or else, we don't actually see them overcoming it - I assume it happens sometime after their happy ending.

Eve Edwards is very good at creating secondary characters fully-fleshed that stay from the cliché. I loved to read about Jane and Jamie, who are the main characters of the next book in the series (I'm already rooting for them); and also about Will and Jamie's family, the Laceys, or Robert Cecil.

A pretty good and well-developed historical, with good characters, great description of setting and an interesting story.

Pages: 352

Publisher: Razorbill (Penguin)

segunda-feira, 25 de junho de 2012

2 anos e uma surpresa

O ano passado festejei o aniversário aqui do blogue no dia em que fazia 1 ano da minha primeira opinião, mas este ano mudei de ideias e acabei por decidir postar isto no dia em que fazem 2 anos da minha segunda opinião - é que acabou por ser o dia em que acabei a época de exames desse ano, e quando comecei a publicar opiniões a sério, com intenção e tempo para o fazer. Não foi por acaso que comecei o blogue no fim dos exames, pois sabia que me desmotivaria muito mais facilmente, matando o blogue à nascença, se tivesse outras coisas a distrair-me e a ocupar-me a mente.

Na altura, a blogosfera literária não me era um espaço desconhecido. Seguia vários blogues desde alguns meses antes, os quais me habituei a consultar primeiramente porque eram uma óptima maneira de ficar a saber as novidades das editoras. Também participava nalguns passatempos, mas o que me manteve na blogosfera eram os posts em que as pessoas davam a sua opinião sobre os livros que liam. Combinando isso com o facto de que esse ano foi o primeiro ano em que ia registando as minhas leituras, acabei por chegar à conclusão que um blogue seria um instrumento muito útil para acompanhar as minhas leituras e opinar sobre elas.

Nos primeiros meses era extremamente tímida e não divulguei o endereço do blogue a ninguém, e não costumava comentar nos outros blogues, mas aos poucos fui saindo da concha, conhecendo novos sítios e atrevendo-me a comentar mais frequentemente.

Hoje em dia, com a falta de tempo, acabo por comentar menos, tenho consciência. Leio todos os blogues que tenho no blogroll e ainda mais alguns, mas no momento de comentar acabo por me retrair. Sinto que se comentar com um "gostei muito" acabo por não contribuir nada para a discussão, e abstenho-me de comentar se não tiver nada a acrescentar. Esta paranóia minha acaba por ser irónica, já que aqui no blogue quero sempre responder aos comentários para não deixar ninguém pendurado.

Bem, excepto esta minha pancada com os comentários, acho que estou de parabéns. Nunca fui uma diarista muito frequente e achei que podia vir a desistir facilmente disto, mas felizmente enganei-me e continuo aqui a postar, mesmo que por vezes tenha alturas mais atarefadas e mais irregulares em termos de posts. Ainda não consegui treinar-me a preparar posts adiantados, para postar quando tenha dias em que não haja tempo (ou inspiração), mas quero para lá caminhar. Também tenho postado mais do que esperava. Tento comentar tudo o que li, nem que seja com umas linhas, e acabei por juntar aproximadamente 280 opiniões e 485 posts no total, nada mau para dois anos, acho.

Outra coisa muito gratificante que posso destacar nestes dois anos é o ter descoberto locais que me dão prazer em seguir, bloggers cujos gostos partilho e pessoas com quem dá gosto trocar ideias. O panorama da blogosfera mudou um bocadinho desde que comecei, eu própria não procuro as mesmas coisas que procurava no início (não ligo tanto às divulgações, e fui descobrindo alternativas para as seguir; e já não participo em passatempos há imenso tempo, já que não tenho... er, isso mesmo, tempo), mas espero e acredito que seja um sítio que me continue a dar prazer de pertencer. Nem que seja mais um ano, para poder festejar os 3 anos, ehehe.

 ---

Para festejar este "blogoversário" decidi fazer um pequeno concurso/giveaway. Os prémios em sorteio são os livros que podem ver na fotografia abaixo. São livros para os quais gostava de encontrar uma nova casa, já que por diversas razões não prevejo que venha a voltar a lê-los, e imagino que há de haver quem os queira ler e adicionar à sua colecção.

Penso que dá para ver todos os títulos, mas posso juntar uma lista se não estiverem bem visíveis.

Haverão dois vencedores, que poderão escolher um livro de entre os livros a concurso. Para entrar é muito simples, basta responder a uma simples pergunta (respondam com o título e o autor, por favor) que se resolve com uma pesquisa no blogue (pista: o arquivo até está aqui ao lado e tudo). Depois é só preencher com o nome completo e deixar o e-mail de contacto. Seguem algumas directrizes para o concurso: 

  • Termina às 23:59 de Domingo, dia 1 de Julho de 2012.
  • Aberto a residentes em Portugal Continental e Ilhas.
  • Uma entrada por pessoa e e-mail.
  • Entradas fraudulentas serão excluídas, assim como entradas incorrectas ou incompletas.
  • Os vencedores serão sorteados aleatoriamente de entre as entradas válidas.
  • Os vencedores serão contactados por e-mail e anunciados aqui no blogue, e têm 72 horas após o meu contacto para responder.
  • Não me posso responsabilizar por livros extraviados pelos CTT.

*concurso encerrado*

Wicked Wildfire Read-a-Thon - The Wrap-Up Post

Wicked Wildfire Read-A-Thon

This was my first read read-a-thon, and I must say it was an interesting thing to do for a few days. It made me focus on reading instead of blogging, and it got me reading things I probably wouldn't have these days.

As for stats, I read:
  • 937 pages
  • in 14 hours and a half
  • 6 books: 1 from my first pile, Obsidian by Jennifer L. Armentrout; 1 from the second pile, The Other Countess by Eve Edwards; and 4 books from the last pile, the comic book pile.
I did accomplish every of my goals:
  • I read every day for an hour or longer (I read 3+ hours in Friday, Saturday and Sunday)
  • I updated my progress everyday
  • I entered all the challenges (and it was most fun trying to figure out them, or trying to come up with a decent answer to them).

I can't tell if I read more than I usually do, but I can tell I made a bigger effort as the days went by, and the weekend days were the best, because I did read a lot.

I am interested in trying to do a read-a-thon again, because this was a great experience, though I can already tell my dream read-a-thon would be on vacation... which is a bit far away now.

Below are my posts during the read-a-thon, including the starting post and the daily update posts.

domingo, 24 de junho de 2012

Wicked Wildfire Read-a-Thon - Sunday, June 24th

Pages: 162 (The Other Countess, Eve Edwards)

Hours: 3 hours and 10 minutes (The Other Countess, Eve Edwards)

Books: The Other Countess, Eve Edwards - finished it.

Challenge: Wicked Summer Scorcher hosted by April @ My Shelf Confessions

For this Wicked Wildfire Challenge you are a VAMPIRE who cannot be out in the sun or – you guessed it, you get scorched. Szzzzzz. Smoking skin, you get the picture. It’s not going to be pretty. However, YOU don’t have a choice!

You see you have several beloved objects you must grab otherwise they will be forever lost to you. What are those objects? Well we’ve peaked inside your minds and made sure to grab 3 of your MOST treasured belongings, which since they are unique will be different for each of you – but you know what they are.

So knowing two things, that you’re a vampire who HAS to run in the sun to grab 3 precious items, you have some thinking to do. How are you going to protect yourself from the sun; from getting scorched to a little vampire crisp? Tell me what you’d do and how you’d do it and HOPEFULLY you’ll survive to see another sunset.
Greetings, human. What is this nonsense about beloved objects you speak of? I have lived through many years, seen many things, lived many lives. Prized possessions is a concept with no meaning to one so old such as I, and it is so last century.

Even if I were to find myself in such a scenario, I would never risk my safety. There's a reason why I keep compelled human servants. Any of them could safely retrieve such items without risking myself or any of the companions of many years that reside in my household.

This must answer your inquiries, human; so now I may go back to enjoy the delights of blood and flesh. What is it, you say? You offer yourself? Why, so generous of you. I can't promise you will enjoy this... but I will.

sábado, 23 de junho de 2012

Wicked Wildfire Read-a-Thon - Saturday, June 23rd

Pages: 224 (the 4 graphic novels)
171 (The Other Countess)

Hours: 1 hour and a half (the 4 graphic novels)
3 hours and a half (The Other Countess)

Books: Le Sursis Volume 1 and Volume 2, Jean-Pierre Gibrat;
L'Étoile du Désert Volume 1 and Volume 2, Stephen Desberg and Enrico Marini
The Other Countess, Eve Edwards

Challenge: Match the Quote! hosted by Benji @ The Non Reluctant Reader
I guessed which quote matched which book, but I haven't entered this challenge yet, it doesn't seem to be working.

It seems fixed. I just entered. It's funny, because when I first read the Game of Thrones quote, without even knowing the book was on the list, I thought the quote was familiar, and a few seconds after, it clicked.

Challenge: Party Up With Literature hosted by Preet @ A Written Rhapsody
In a comment or post(leave a link), pick a character(s) from your current read and do at least two of the following:
  • Create a catchy band name for your group of characters or solo artist.
  • Tell me what genre they would sing.
  • Find a song and/or lyric that would fit the book and tell me who it’s by and why it fits.
  • Find a music video that would relate to the book and leave the link.
  • Create a playlist of three to five songs that would go with your book.


Since I'm reading The Other Countess by Eve Edwards, which happens in Elizabethan times, I'm calling my band Shakespeare Sings, and all the main characters are in the band - Ellie, Will, Jane, Henry, Robert, Charles. It would be fun to see all these clashing personalities to create a band and spend time together.

There's a song I love and that might be a good fit for the book - Fly Away by Emma Townshend. I watched countless times the movie where this song plays (The Magical Legend of the Leprechauns), and since the movie is inspired by a Shakespearean play (Romeo and Juliet), I chose a video of the movie's ending, when this song plays, to add to this challenge. I'm a huge fan of the ending, since after all the drama and trouble everything ends on such a happy note.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Wicked Wildfire Read-a-Thon - Friday, June 22nd

Pages: 200

Hours: About 3 hours and 20 minutes

Books: Obsidian, Jennifer L. Armentrout - finished it.

Challenge: Sonnets and Serenades hosted by Amanda @ Letters Inside Out

I challenge you to write an original love poem or song to or from a book character! (It can be written to a character, from a character to another character, from the character to you, from the character to me…) It can be “hot”, “sweet”, funny, or whatever! (I want to swoon…or laugh, as the case may be.)

To Be Updated... maybe. I'm lacking inspiration and I'm no good at poetry, so we'll see.

OMG, this took forever... I spent over an hour agonizing over the last stanza and the final couplet. (I now hate rhyming. This is so much harder when you're not a native speaker.) And I didn't even think about meter. (That might become a nightmare, LOL.)

Anyway, I've been reading Obsidian, so I came up with this poem, from Katy to Daemon:

How do I hate thee? Let me count the ways:
I hate thee and the way you speak,
And the way you leave me in a daze,
How around you my knees feel weak.
  You just drive me insane
  With how you stop and stare,
  Around you I feel a plain Jane
  And that I cannot bear
To be honest, hate is a word too strong
You set my heart and soul afire
I see how much this could go wrong
But there is nothing I most desire
  If I am to go down in flame
  I'd rather be in your arms, if that's the same

Challenge: Beach Soiree hosted by Kriss @ The Cabin Goddess Reviews

  • Your perfect beach (from a book, or a place or a cover)
  • Your perfect date (provide a link to cover or book)
  • In your preferred swimwear (description, or link to image or cover)
  • With your first choice of books to read (title with link to book or to cover)


Well, I'd like to go back to a beach of my childhood, S. Torpes in Sines, Portugal, and see how much it's changed. I'd ask on a date the cute model that represents Daemon on the covers of the Lux series by Jennifer L. Armentrout. (For him, I can almost forgive them for changing the cover and using a different image in which we can no longer see Katy's model's face.) I'd use a bikini with shorts (I'm a big fan of those), and I'd probably read something fun and light and contemporary like The Summer I Turned Pretty or Perfect Chemistry.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Wicked Wildfire Read-a-Thon - Thursday, June 21st

Pages: 120

Hours: 2 hours

Books: Obsidian, Jennifer L. Armentrout

Challenge: Cover Lover hosted by Marie @ Ramblings of a Daydreamer

I love these challenges where you have to guess the book with just a bit of the cover, so I feel at ease with this challenge. I've guessed 7 out of the 9 books, but I think I may be able to guess the last two... I'll take a look later. Scratch that, I just figured out the last two. Phew! They took a little more research and paying attention.

Challenge: Wicked Title Trouble hosted by Melissa @ Melissa’s Eclectic Bookshelf
Using at least 3 of the titles of the books below...make up the most interesting, creative, funny, romantic, mysterious, or simply ridiculous sentence that you can!

So, here's my try... I couldn't resist using all of the titles.

I was Born Wicked, so That Summer, amidst a Heat Wave, I was Catching Fire at the Beach House, in the time of the Rising Sun of the Solstice; I then became one of The Sandcastle Girls and learned How to Ruin a Summer Vacation.


Bonus Challenge: Sing Us a Song hosted by April @ My Shelf Confessions

I won't enter this one, it looks fun but I'm shy, a crappy singer and no good at recording things at all, so I'd just embarrass myself.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Wicked Wildfire Read-a-Thon - Wednesday, June 20th

So, here are my updates for the day.

Pages: 60

Hours: About 1 hour

Books: Obsidian, Jennifer L. Armentrout

Challenge: Something Wicked This Way Comes… hosted by Rebecca @ Kindle Fever
“A wildfire is quickly coming your way! What thing/s do you grab when you only have a few minutes to make it out?” (I’ve saved any people or pets in there already!)

Er... hopefully I'd be dressed, otherwise I'd use my time to put some clothing and shoes on and grab some money and my documents, I guess. But assuming this would somehow be all prepared, I'd save the laptop, the Kindle, the photographic camera and on the way out to save my life I'd greedily grab a couple of unread books from my TBR pile, if I could.

Challenge: Slake Your Thirst hosted by Kimberly @ The Caffeinated Book Reviewer
"Share your favorite drink recipe and the cover of your favorite/most anticipated summer read! Have fun with this, include pictures, the recipe (so we can all try it) and tell us about your book choice. Have you read it? Are you anxiously awaiting its release this summer? Why?"

My most anticipated summer read is easy:


Foretold, by Jana Oliver. I'm such a fan of Riley and Beck, so I'm dying to read the final part of their story... hopefully with a somewhat happy ending for them.

The beverage is harder to describe, since I improvise it everytime and don't follow a recipe, but I'll outline one:

Tricolored Coffee
- a shot of espresso
- whipped cream and canned milk at your discretion

It's really easy: you serve a shot of espresso and add a bit of canned milk - as much as you prefer. Be careful though, too much and it becomes too sweet. At this point, you can mix the coffee and the milk, but it's more fun not to do so, to obtain the tricolored effect. Add some whipped cream, again as much as you like, and voilá!, it should sorta look like the above picture. You can sprinkle the whipped cream with chocolate powder if you'd like.

Picture Puzzle #17

O Picture Puzzle é um jogo de imagens, que funciona como um meme e é postado todas as semanas à quarta-feira. Aproveito para vos convidar a juntar à diversão, tanto a tentar adivinhar como a fazer um post com puzzles da vossa autoria. Deixem as vossas hipóteses nos comentários, e se quiserem experimentar mais alguns puzzles, consultem a rubrica nos seguintes blogues: Chaise Longue.

Como funciona?
  • Escolher um livro;
  • Arranjar imagens que representem as palavras do título (geralmente uma imagem por palavra, ignorando partículas como ‘o/a’, ‘os/as’, ‘de’, ‘por’, ‘em’, etc.);
  • Fazer um post e convidar o pessoal a tentar adivinhar de que livro se trata;
  • Podem ser fornecidas pistas se estiver a ser muito difícil de acertar no título, mas usá-las ou não fica inteiramente ao critério do autor do puzzle;
  • Notem que as imagens não têm de representar as palavras do título no sentido literal.

Hoje não estou muito inspirada, por isso só concebi um puzzle...

Puzzle #1
Pista: .



Divirtam-se!

Wicked Wildfire Read-a-Thon - Starting Post

Wicked Wildfire Read-A-Thon

So I found out about this read-a-thon through a blogging friend, and got this crazy idea that I should try to enter. I've always wanted to enter one, but it never was the right time. Now is the time, I guess, even though I don't have as much time available as I'd like.

The Wicked Wildfire Read-a-Thon is hosted by Rebecca @ Kindle Fever and April @ My Shelf Confessions, and it runs from June 20th to June 24th. The sign up post is here.

My goals - well, I'll try to be modest (or not):
  • To read every day, and at least an hour (longer on the weekend);
  • To enter some of the challenges;
  • To update my progress everyday.

I'm planning to read the following books:
- Obsidian, Jennifer L. Armentrout
- Fifty Shades of Grey, E.L. James
- Looking for Alaska, John Green

And these are my back-up books, if I ever finish the ones above (yeah, right, like that's going to happen):
- The Other Countess, Eve Edwards
- Changeling, Philippa Gregory
- Pavane, Keith Roberts

I am thinking of reading a few comic books and albums and manga I own in the weekend, in order to lower my TBR pile a bit, so here they go, just in case:


So, modest goals, huh?

terça-feira, 19 de junho de 2012

Eu e a leitura

A minha história como leitora ávida terá começado pelos 4-5 anos, quando aprendi a ler. Os meus pais dizem-me que quando viajávamos eu me fartava de perguntar o que é que estava escrito nas placas, e que assim aprendi a ler, pelo menos em maiúsculas. Foi por essa altura que a minha mãe me comprou os primeiros livros de Banda Desenhada, que me ajudaram a desenvolver o bichinho. Passei muito tempo na companhia do Pato Donald e dos sobrinhos e do Mickey e amigos, e também tive uma fase em que lia a Turma da Mónica.



A partir daí fui lendo muitas outras coisas, incluindo uma colecção de livros da Rua Sésamo e a colecção Porque será que?, que a minha mãe encomendava para mim do Círculo de Leitores. (A minha mãe sempre foi uma impulsionadora das minhas leituras. Obrigada, mãe. Aposto que deves estar a arrepender-te do dia em que me passaste o primeiro livro para as mãos.)



O ponto seguinte da minha história com os livros é marcado pela abertura de uma biblioteca municipal no conselho onde vivia quando tinha uns 8 anos. Pouco depois de ser inaugurada, a minha mãe levou-me e à minha irmã para nos inscrevermos. Aí tornei-me ávida nas minhas leituras - podíamos levar 3 livros por 15 dias, e quase sempre eu acabava os livros antes do prazo. Foi a biblioteca que me deu a ler colecções como as da Uma Aventura, o Triângulo Jota, o Clube das Chaves, ... e daí nasceu o meu gosto por aventuras.



Quanto à minha irmã, esteve por algum tempo mais reticente aos prazeres da leitura, mas uma professora dela da escola primária tinha disponíveis na sala uma colecção de livros da Patrícia Belden, e isso plantou o bichinho nela. Também li com muito gosto os livros, e ainda hoje tentamos procurar em alfarrabistas e feiras cópias dos mesmos.






Entretanto, alguns meses depois de o primeiro livro do Harry Potter ser publicado em Portugal ouvi falar do mesmo. Pensei "um rapaz que não sabe que é feiticeiro e vai para uma escola para aprender a sê-lo? fixe, isto é capaz de ser giro". Mal sabia eu que estavam ali uns bons amigos e que íamos mutuamente acompanhar-nos até à vida adulta. Li os livros com uma idade próxima da que o Harry, a Hermione e o Ron tinham nos livros, particularmente o primeiro e o ultimo livros. Passei o Verão a seguir a ler o livro, em que tinha 11 anos, a torcer para que uma coruja, um pombo, ou vá um periquito, me viessem trazer a carta de entrada em Hogwarts. E no Verão dos meus 18 anos, quando tudo estava a mudar, li o último livro, e percebi que ia ficar tudo bem.



Para além do Harry Potter, outro culpado existe pelo meu gosto por tudo o que tem uma gota de fantástico - o Senhor dos Anéis. No Verão (sempre o Verão!) a seguir ao primeiro filme da trilogia ter saído apanhei-o num canal de cinema e mais uma vez fiquei deliciada ao saber que era baseado nuns livros. Não descansei enquanto não os li, e até viciei a minha irmã, que devorou os livros logo a seguir.



Quando tinha 14 anos mudei de casa, e no lugar em que vivia não havia biblioteca. (Apenas um centro documental patrocinado pela Gulbenkian, que era pequeno e com, compreensivelmente, pouca variedade.) Comecei a comprar mais do que pedir emprestado, e nessa fase ganhei um gosto também pela banda desenhada. Nessa altura era comum as edições da Devir serem vendidas nas papelarias e eu comecei a comprá-las. Fui juntando também algumas revistas de banda desenhada que eles publicavam, para além das colecções Os Clássicos da Banda Desenhada, e Os Clássicos da Banda Desenhada - Série Ouro, publicadas pelo Correio da Manhã e que me deram a conhecer outros artistas, álbuns e heróis.



Durante esses anos fui ganhando um gosto cada vez maior pelo fantástico, mas ainda não havia muita coisa publicada em português, por isso fui variando as leituras. Adorei ler Os Diários da Princesa da Meg Cabot, e como gostei tanto da autora acabei por espreitar todos os outros livros dela que pude. (Infelizmente, não tinha acesso a eles da maneira convencional. Ainda hei de coleccionar todos os livros dela.)






Pelo meio houve um qualquer devaneio com a série do Crepúsculo, cujo primeiro livro me fez salivar por o ler durante um Verão inteiro, porque tinha lido um daqueles livrinhos com os primeiros capítulos e tinha achado aquilo viciante. Ainda por cima o livrinho dizia que iam publicar aquilo no fim de Junho, e só tive notícias do livro em Outubro! É claro que quando chegou o filme eu já me tinha fartado e ido parar a outras paragens (passe a redundância), e agora só os vejo por mera curiosidade.



Os últimos anos de leitora têm sido os mais intensos. Com a minha vinda para Lisboa para estudar comecei a ter mais e melhor acesso a livrarias, e comecei a ler mais coisas do fantástico, que ainda é o meu género de eleição. O ter começado o blogue foi um passe para estender os meus horizontes e alargar as minhas opções, e tenho lido muita outra coisa que não sonharia há uns anos - além de agora poder encomendar livros em inglês se tal me apetecer. Do ponto onde me encontro, o horizonte é bem vasto, e o céu é o limite.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

The Lady Most Likely, Julia Quinn, Connie Brockway, Eloisa James


Opinião: Confesso, estava a morrer de saudades da Julia Quinn, mas ainda estou em dúvida se deva avançar para a série que ela está a escrever agora, já que ainda não está acabada. (A noção de ter de esperar dois anos pelo fim da série é assustadora.) Resultado, virei-me para a next best thing e peguei neste livro, escrito em colaboração por três autoras de romance histórico. Cada uma escreve aproximadamente 1/3 do livro e desenvolve a curta história de um casal de entre os personagens apresentados no primeiro capítulo. Há continuidade entre as três partes, pois tudo se passa na mesma house party, que decorre num par de semanas.

Acabei por sair um pouco desapontada, porque a história da Julia é a mais fraca. A escrita dela está lá, e é deliciosa, e o seu humor mantém-se, mas o casal conhece-se, apaixona-se e fica noivo tão depressa que não temos tempo para apreciá-los. O espaço limite impede que haja um desenvolvimento em condições. Aprecio a tentativa da Julia de escrever um casal que se conhece pela primeira vez, em oposição a casais que têm uma história (opção tomada pelas outras autoras, que lhes facilita o trabalho na aproximação do parzinho), mas gostava que as coisas tivessem sido desenvolvidas de forma diferente.

A parte da Eloisa James é bem gira, o casal conhece-se desde que são miúdos e têm química. A Georgina é viúva e debate-se com os sentimentos de perda decorrentes da morte do marido, e decide que não quer casar nunca mais. O High é clueless e obcecado com os seus cavalos de criação, tanto que as duas raparigas elegíveis que a irmã lhe recomendou acabam noivas de outros homens. Mas ele de repente repara na Georgie, e não descansa até lhe dar a volta.

A minha parte favorita foi a da Connie Brockway, em que o casal também se conhece desde muito novo, só que são um pouco mais jovens. A Katherine tem uma paixoneta pelo Neill desde sempre, mas foi rejeitada por ele há quatro anos, e agora que se reencontram velhos sentimentos ressurgem e deixam-nos desconcertados. Gostei da Katherine, que tinha um feitio espevitado e directo, e do Neill, que é um rogue regenerado pela guerra. Têm química e as cenas deles divertiram-me.

Enfim, apesar da história da Julia ser menos conseguida, o livro vale a pena. Lê-se muito rapidamente (apesar das quase 400 páginas, tem letra bem grande), e é bem divertido, sendo uma boa porta de entrada para as outras autoras.

Páginas: 384

Editora: Piatkus

domingo, 17 de junho de 2012

Audiolivros Gratuitos

O site Sync tem uma iniciativa muito interessante. Para promover a leitura audição de audiolivros entre a audiência juvenil, disponibilizam-se durante o Verão 10 livros YA e 10 livros clássicos, ao ritmo de um de cada por semana, que podem ser descarregados gratuitamente.

Há alguma limitações de direitos de autor que impedem que alguns títulos possam estar disponíveis fora dos EUA, mas mesmo assim a maior parte dos livros estará disponível a todos. Tenho pena que a maior parte dos livros não disponíveis sejam mesmo os YA (adorava ler ouvir o Daughter of Smoke and Bone outra vez) , mas por outro lado temos alguns clássicos que me interessam muito, incluindo um lido pelo Toby Stephens (o Mr. Rochester! de Jane Eyre!).

Já fiz o download do livro desta semana e do programa que permite o download do livro, e parece estar a funcionar muito bem, mais ainda tenho que explorar melhor as funcionalidades do programa. (Aconselho a página "Download Help" para descarregar o dito programa.)

Para ver a lista de títulos disponíveis, ver aqui. Para ver os livros não disponíveis para download fora dos EUA, ver aqui. Abaixo transcrevo a lista de livros para as 10 semanas, com as datas em que estarão disponíveis, na qual risquei os livros que não vamos poder descarregar em Portugal.

June 14 – June 20, 2012
The Eleventh Plague by Jeff Hirsch, Read by Dan Bittner
The Grapes of Wrath by John Steinbeck, Frank Galati [Adapt.], Read by Shirley Knight, Jeffrey Donovan, and a Full Cast

June 21 – June 27, 2012
Irises by Francisco X. Stork, Read by Carrington MacDuffie
Sense and Sensibility by Jane Austen, Read by Wanda McCaddon

June 28 – July 4, 2012
The Amulet of Samarkand by Jonathan Stroud, Read by Simon Jones
Tales from the Arabian Nights by Andrew Lang, Read by Toby Stephens

July 5 – July 11, 2012
Anna Dressed in Blood by Kendare Blake, Read by August Ross
The Woman in White by Wilkie Collins, Read by Ian Holm

July 12 – July 18, 2012
Guys Read: Funny Business by Jon Scieszka [Ed.] et al., Read by Michael Boatman, Kate DiCamillo, John Keating, Jon Scieszka, Bronson Pinchot
The Notorious Jumping Frog of Calaveras County and Other Stories by Mark Twain, Read by Norman Dietz

July 19 – July 25, 2012
Cleopatra’s Moon by Vicky Alvear Shecter, Read by Kirsten Potter
Antony and Cleopatra by William Shakespeare, Read by a Full Cast

July 26 – August 1, 2012
Pinned by Alfred C. Martino, Read by Mark Shanahan
TBA (To Be Announced)

August 2 – August 8, 2012
Daughter of Smoke and Bone by Laini Taylor, Read by Khristine Hvam
A Tale of Two Cities by Charles Dickens, Read by Simon Prebble

August 9 – August 15, 2012
Skulduggery Pleasant by Derek Landy, Read by Rupert Degas
Dead Men Kill by L. Ron Hubbard, Read by Jennifer Aspen and a Full Cast

August 16 – August 22, 2012
The Whale Rider by Witi Ihimaera, Read by Jay Laga’aia
The Call of the Wild by Jack London, Read by William Roberts

sábado, 16 de junho de 2012

Breves: Adèle Blanc-sec, Valérian e Laureline

Há uns anos coleccionei fervorosamente duas colecções, organizadas pelo Correio da Manhã, chamadas Os Clássicos da BD e Os Clássicos da BD Série Ouro (ou algo do género), e uma coisa que adorava nessa colecção era a introdução, que contextualizava as escolhas do editor em termos de histórias para cada livro, e era o cuidado que dedicavam a escolher histórias quase auto contidas e que não deixassem o leitor pendurado.

(Interlúdio: Bem, como em todas as regras, a regra acima teve uma excepção, que foi o livro do Blueberry, que acabou com uma história com um cliffhanger gigantesco e que me deixou obcecada em encontrar a história seguinte, Angel Face. Só que na altura era impossível encontrar BDs deste herói, e eu fiquei traumatizada por meses por não saber o fim daquilo. Oh well... sobrevivi.)

Bem, mencionei isto porque os dois livros de que vou falar carecem de um pouco de contextualização na escolha das histórias para os respectivos volumes. Acho interessante que a ASA e o Público se juntem tantas vezes para divulgar colecções de BD, mas julgo que aqui, se a intenção era apresentar novos autores e novos títulos aos leitores, as histórias podiam ser melhor escolhidas, ou pelo menos a sua inclusão melhor explicada.

Dito isto, a qualidade da edição é bem boa, com o tipo de papel e o tamanho do livro muito adequados a um álbum de BD; e até a capa mole tem uma certa resistência, badana incluída.

Adèle Blanc-Sec, Jacques Tardi
Contém a 3ª história da heroína titular, mais uma história que ao ler me deixou a pensar "o que raio é que isto tem a ver com este universo?". Pesquisei e descobri que os personagens desta história voltam a aparecer na 4ª história da Adèle. (Vêem? Contextualização teria sido útil.)

Gostei da primeira história, O Sábio Louco, e da sua mistura entre histórico e fantástico. Gostaria de ler mais alguma coisa da Adèle. Desgostei de que esta fosse a 3ª história, porque tem personagens que já apareceram na 1ª e 2ª, e há referências a isso. A arte estranha-se, depois entranha-se, e gosto do modo meio "doido" do autor desenhar.

A segunda história, O Demónio dos Gelos, é a tal que não pertence tecnicamente às aventuras da Adèle Blanc-sec, mas fiquei bastante disposta a perdoar tal pecado ao ver a arte. O autor faz um trabalho fantástico a preto e branco, especialmente nos cenários no Árctico. Vale a pena o álbum todo.

Título original: Le Savant Fou (1977) e Le Démon des Glaces (1974)

Páginas: 112

Editora: Asa/Público

Tradução: Andreia Gomes e Catherine Labey (respectivamente)

Valérian e Laureline, Pierre Christin, Jean-Claude Mézières
Contém as histórias número 19 e 21, Nas Imediações do Grande Nada e O AbreTempo, respectivamente a antepenúltima e última da saga. Sente-se bastante a falta da vigésima história, a penúltima, já que os acontecimentos em O AbreTempo são uma continuação directa da mesma. Também preferia ter lido histórias mais no início da saga, já que assim já sei o final...

Mas gostei do enraizamento da história na ficção histórica. A arte é muito bonita, especialmente quando o desenhador pode dar largas à imaginação e mostrar a sua visão do espaço e dos seus habitantes. As histórias são complexas, mas não difíceis de seguir. Gosto de ver os dois personagens titulares juntos e de como a Laureline não é a bimba de serviço - ela é corajosa e inteligente, e uma parceira à altura do Valérian.

Título original: Ao Bord du Grand Rien (2004) e L´OuvreTemps (2010)

Páginas: 104

Editora: Asa/Público

Tradução: Paula Caetano